quarta-feira, 25 de abril de 2012

Missões: e eu com isso?



Compartilho com os queridos leitores do DEUS DIÁRIO uma redação que fiz pela disciplina "Introdução à Missão e a Missões".

"Hoje, pela graça e amor do Pai, vejo-me como um colaborador na propagação do Reino de um Deus em missão na terra. Missões seria, então, o meu esforço para que a missão do SENHOR se cumpra.

Como todos os cristãos, eu recebi a ordem de Jesus para pregar o Evangelho e fazer tantas outras coisas que isso envolve. Aos poucos, e de uma maneira linda, Deus me conta o que Ele tem para mim. O que facilita é o fato de eu perceber coisas que gosto de fazer e que posso usar em prol do cumprimento da Grande Comissão. Não planejo coisas ‘para mim’, mas ‘através de mim’, no sentido de: “O que posso fazer hoje em termos de Missões? Certo, amo escrever, estudar outras culturas e idiomas, amo pregar a Palavra, então, o que posso fazer nesse exato momento para que alguém seja alcançado?”

Eu tenho tudo a ver com Missões ao ponto de me ver dentro dessa palavra. E não faço isso para impressionar ao professor, adquirir uma boa nota e me gabar. Na verdade, isso deveria ser declarado e vivido por todos os cristãos e não um motivo de espanto. É uma pena não haver o envolvimento necessário para Missões.

À minha ação ou passividade estão relacionados a corrupção no Brasil, a miséria na África, a perseguição à Igreja de Cristo na Coreia do Norte e em tantas outras nações, a frieza espiritual europeia, o caos social, político e religioso no Oriente Médio, os números desafiadores da Janela 10-40, o não-alcance às milhares de ilhas da Oceania etc. Mais perto que isso, mas não menos importante, estão relacionados também o alcance dos meus próprios familiares e parentela dentro de casa. É tão maravilhoso perceber que em tantas situações eles já recorrem a mim esperando alguma coisa, como uma oração, uma palavra de consolo ou incentivo etc. Eu tenho tudo a ver com Missões!

Da mesma maneira que Israel não foi simplesmente ‘escolhida’, mas ‘escolhida para’ ser exemplo às outras nações e alcançá-las, compreendo que comigo ocorre o mesmo. Eu não fui simplesmente chamado para receber com soberba o título de “filho de Deus”, entre outras qualidades. Ao contrário, com humildade e outros atributos característicos de Jesus, fui conhecido por Deus antes mesmo do meu nascimento para deixar a minha marca no mundo, e isso necessariamente relaciona-se a Missões.

Indo ou enviando, sou parte de Missões, e quando falo sobre ela acredito ser interessante falar em termos práticos. É colocar a mão no bolso e atender ao pedido de alguém na porta da igreja: “Ajude as Missões indígenas! Comprem essa flor feita com bala de goma por apenas R$1,00!”, ou “Colabore para irmos à Angola no meio do ano!”. É manter contato com um amigo missionário constantemente para que ele não se sinta tão sozinho. Quando eu envio eu estou indo também! Mas que Deus me livre de parar por aí! Digamos que eu quero “enviar a mim mesmo” e não apenas os outros. Eu quero ser pés que conquistam territórios, mãos que trazem transformação e boca que anuncia as boas-novas de salvação!

Em termos profissionais, sofri preconceito por ter me graduado em Turismo. Infelizmente, somos muito parecidos na sociedade. Popularidade e status nos fazem lamentavelmente iguais. As diferenças, sim, agradam a Deus. Assim, todas as profissões são relevantes, e creio serem também quando usadas em benefício do Reino. Essa faculdade pode abrir portas para que eu entre em uma nação que a princípio fecharia a porta na minha cara. Como tenho tudo a ver com Missões, tudo o que eu faço é pensando em como posso ser usado por Deus. Embora seja importante eu atuar na área até mesmo para bancar o envio missionário, a questão vai além do aspecto profissional."

Missões: e você com isso?

2 comentários:

  1. Puxa Marcelo. De fato me comovi com a sua declaração de fé. Você e outros parecidos na verdade fazem muito por missões apenas existindo. Dr. Oswald Smith era conhecido como o "Senhor Missões" exatamente pelo fato de sua vida transpirar missões por todos os poros. Você é uma dessas pessoas. May God bless you more and more.

    ResponderExcluir
  2. Que palavras lindas, pastor! Obrigado e amém! E saiba que nunca me esqueço das suas palavras com relação ao que Deus tem pra mim enquanto missionário. Recordo-me sempre e compartilho com irmãos sobre o meu pastor, Márcio Amorim, também um "Senhor Missões", para a glória do nosso Senhor Jesus!

    ResponderExcluir